Saturday, June 27, 2009

 

CRONISTAS
Numa reunião, composta por jornalistas, professores e historiadores, foram escolhidos Vasco Pulido Valente e António Lagarto como crânios de eleição.


Monday, June 15, 2009

 
UMA EXPOSIÇÃO QUE COLOCA OS AÇORES NA
SENDA DA PINTURA MODERNA ABERTA A TODAS AS
ESCOLAS
- Victor Meireles, um pintor revolucionário dos TEMPOS MODERNOS, expõe com muita coragem no Centro de Cultura de Ponta Delgada trabalhos que colocam São Miguel ao nível dos desafios das metrópoles europeias. Meireles é um viajante por espaços humanos ricos de imaginação. A natureza verga o pintor mas este não se deixa intimidar. Os pigmentos dominados com uma criatividade fora do comum transmitem ao visitante uma empatia e uma rejeição concomitantes. Não se fica indiferente ao jogo das cores e dos objectos de tão humanizados que estão. A forma é tratada sem os complexos das academias e, neste sentido, somos nós quem a completa, tal a ânsia que nos faz despertar. É uma pintura para se viver, pois ela parece penetrar nas nossas mais recônditas e funestas intenções. Talvez um recordar a infância esteja presente nas sucessivas leituras que somos levados a fazer para melhor interiorizar a mensagem. Foi uma tarde valorizada e sem dúvida para não esquecer aquela que passei a olhar e a voltar a olhar.
mmb







video

Thursday, June 11, 2009

 

NEM SÓCRATES ESTAVA DISTRAÍDO NEM PERDEU AS “EUROPEIAS
DESCONHECIDAS”

Depois de Portugal não ter votado, como atesta a abstenção, os comentaristas começaram a retirar as costumeiras ilações sobre o resultado obtido nas urnas. Sócrates levou um cartão amarelo e etc,. No mesmo sentido caíram como moscas as frases feitas. Nada disso!. As europeias tem tanto valor para os portugalistas como se de um treino orientado pelo Jorge Jesus se tratasse. Quem obteve o resultado das europeias e deve ser “o responsável” pelo baixo score é o senhor Vital Moreira. Trata-se de um constitucionalista conhecido apenas nos meios políticos. O povo sabe lá quem é o homem de Coimbra (salvo seja a comparação). Sócrates não ia correr o risco de escolher um socialista que pudesse pôr em causa a sua liderança e se fizesse ao seu lugar. Sócrates recriou o Partido Socialista e, por sua vez, modificou o conceito de Estado. Hoje, quem pensa o Estado pensa Sócrates. E fê-lo nas barbas de um Cavaco prisioneiro da sua inação. Tudo está a ruir à volta do serôdio conceito de nação-Estado. Os portugalistas querem um Portugal europeu somente para poderem usufruir dos benefícios da Nova Europa. Os portugalistas estão entregues aos partidos e à democracia que com eles se irmana. Portugal é uma democracia de interesses de grupos. Para além disso nada tem importância. Manuela Ferreira Leite iludiu-se com o resultado. Já pensa ser primeira-ministra. Até onde vai a ilusão da senhora que arranjou um ponta de lança que se demarcou dos demais apenas pela simpatia que destribuiu. O PSD é-o de Santana, Menezes, e amigos. Ninguém pensará entregar a este PSD - que não se distingue do antigamente – o poder. As linhas programáticas são pouco distinguiveis. Paulo Rangel ganhou o quê? Penso que a força para continuar a discutir taco a taco as intenções do voto. Penso que mais nada. O portugalista já adquiriu a conciência dos valores dos vários actos eleitorais. Se nas últimas presidenciais estivesse no terreno votar um socialista Cavaco não teria vencido. Os portugalistas optaram por Cavaco e pronto. Manuel Alegre chegou ao milhão de votos. E depois? Para que serve tanto papel? Sócrates vai novamente receber o voto de confiança dos portugalistas. Porque ele está a fazer aquilo que a direita devia ter executado quando esteve no poder: reforçar o Estado e dar-lhe personalidade.A bem ou a mal ele teve a coragem para mexer com aquilo que sabemos ser o compadrio estabelecido e que paralizava a vida nacional portuguesa. É isso, no fundo, o que esperávamos. Nas próximas autárquicas o PS vai ao fundo. Tudo bem. Porém, foi quase sempre assim. As legislativas é que interessam. Aposto na mentalidade dos portugalistas. O mesmo é dizer que Sócrates vai ganhar e em maioria absoluta. Está escrito nas nossas apetências. Não sei se respondi ao amigo Manuel Campos...

Monday, June 01, 2009

 

PORTUGAL irá votar? Não, vai a férias, melhor vai à praia. Que falta de civismo não dar o voto que iria permitir a alguns (poucos) um óptimo emprego. Isso não se faz. O povo diz: eles que votem entre eles já que são os únicos a beneficiar com os tachos. O povo é que sabe.
Entretanto a campanha está na rua. O que se vê é que os candidatos falam mal uns dos outros. De tal modo que o voto nestas - esperemos que melhorem nas próximas eleições - vai parar ao saco do desconhecido. A Europa que está tão perto parece coisa estranha tal é o que eles (os candidatos) dizem dela... Os putativos eleitos andam de feira em feira a comprar fruta para entabularem conversa. É a única maneira que descobriram para falarem com alguém que se está nas tintas para a conversa deles. Aparecem também em fábricas. Dá para perguntar: para quê? E ainda gastam milhões para tal espectáculo. É o descrédito o que anda por aí e a gente a vê-los. Eu que achava os programas sobre futebol um sinotma de cabeças fracas, hoje dou razão aos que a ele se dedicam. Foi o que os políticos criaram: um espécie de Estado Novo com novo apêndice. Pois seja!

This page is powered by Blogger. Isn't yours?